A importância da performance em projetos web


Performance é um dos fatores mais importantes para o sucesso de projetos e negócios online atualmente. Afinal, sites com desempenho lento frustram visitantes com a espera de carregamento de páginas e, assim, eles seguem sua jornada pela web em busca de alternativas mais rápidas. Com tantas opções e fontes de informações disponíveis, a impaciência acaba sendo uma característica da era digital!

Page Speed ou velocidade de página refere-se essencialmente à velocidade com a qual páginas da web são baixadas a partir dos servidores de hospedagem e, em seguida, exibidas no navegador dos usuários. Já o tempo de carregamento da página é a duração entre o clique no link e visualização de todo o conteúdo a partir da página da Web no navegador do usuário. Plugins de otimização de desempenho, scripts do lado do servidor e ajustes finais têm um impacto importante e perceptível na velocidade das páginas, mas o que faz mesmo a diferença é pensar em performance desde os princípios dos projetos.

Apesar dessa necessidade de levar em conta o desempenho desde o início, alguns desenvolvedores web e proprietários de negócios online tendem a ignorar os tempos de carregamento de página durante o desenvolvimento de seus projetos e estratégias de design. Este comportamento pode ser definido pela expressão “tiro no pé”.

Para se ter uma ideia, em uma pesquisa engenheiros da Google concluíram que o tempo de carregamento da página quase imperceptível de 0,4 segundos é suficiente para fazer com que usuários pesquisem menos. O especialista em performance web da Microsoft e cientista da computação Harry Shum, cita 0,25 segundos como uma diferença grande em tempo de carregamento de página – seja mais rápido ou mais lento – esse número mágico dita vantagens ou desvantagens competitivas para as empresas online.

E o que acontece quando as empresas não otimizam suas páginas?

Pesquisas junto a usuários americanos revelam que:

– 1 em cada 4 visitantes abandonaria um site que leva mais de 4 segundos para carregar. 46% dos usuários não voltariam a visitar sites com desempenho insatisfatório.

– Proprietários de sites têm apenas 5 segundos para envolver os visitantes antes que eles pensem em sair da página. 74% dos usuários que acessam um site mobile fechariam a página ou visitariam outro endereço, caso ela demorasse mais de 5 segundos para carregar.

– 47% dos clientes de comércio eletrônico tem a expectativa de que uma página carregue em menos de dois segundos antes de considerarem deixar o site.

– 40% dos usuários abandonariam o site no terceiro segundo de espera, antes que uma ferramenta analytics identifique a sua presença no site. O tempo médio de pico de carga para conversões são meros 2 segundos – muito mais rápido do que milhões de sites por aí.

Apesar desses serem números de pesquisas realizadas nos EUA, podemos inferir que por aqui não seria muito diferente, especialmente em relação à importância da velocidade.

Definição de metas de desempenho

Um bom ponto de partida para otimização web é definir metas de desempenho, ou seja, definir um determinado valor para um indicador de desempenho específico e ajustar os outros fatores para que sua página não exceda a meta estabelecida. Por exemplo, para seu site responsivo, a BBC determinou que cada página deveria ser utilizável para o usuário dentro de 10 segundos em uma conexão GPRS. Ao estabelecer isso, definiu suas metas para o peso da página e número de requisições levando em conta esse objetivo.

Há uma série de fatores que podem ser usados para definir uma métrica ou KPI de performance em seus projetos, como por exemplo:

– tempo de carregamento da página

– o peso da página

– pontuação PageSpeed Insights (PSI)

– tempo de carregamento total

– número de requisições

Caso algum desses fatores esteja fazendo com que a sua meta seja excedida, você pode, por exemplo, otimizar ou remover um recurso ou ativo da página.

Responsividade

Design responsivo não faz sentido sem investimentos em alta performance. Se você começar o desenvolvimento pensando no projeto a partir de uma perspectiva mobile first, é possível evitar muitos problemas que os sites desktop tendem a enfrentar quando acessados via smartphones.

Um cultura da performance

Em seu artigo sobre como desenvolver uma “cultura da performance“, Steve Souders (Engenheiro na Google) comentou que, especialmente para empresas de tecnologia, investir em uma cultura de performance é como investir na cultura da qualidade. De acordo com ele, práticas ruins se espalham tão rápido quanto boas práticas, por isso uma cultura da performance pode ter o poder de impulsionar qualidade e, por consequência, impulsionar os resultados nas empresas.

Aqui na KingHost sabemos da importância da performance nos projetos web, por isso estamos sempre empenhados em trazer tecnologias de ponta aos nossos clientes. Essas novidades são tanto em termos de monitoração e otimização, como na integração do Google PageSpeed e New Relic junto ao painel de controle dos clientes, como também na adoção rápida e difusão de tecnologias avançadas, como foi o caso do PHP7 e da disponibilização do Phalcon. Por fim, a preocupação com o desempenho também é refletida no investimento em infraestrutura robusta e outras vantagens aos clientes.

Fontes:

GlobalDots

WebPerformanceToday

GoToProject

 

 

Leonéia Evangelista

Leonéia Evangelista

Analista de Conteúdo em Kinghost
é bacharel em Comunicação Digital pela Unisinos e mestre em Bibliotecas Digitais pelo programa Digital Library Learning (Erasmus Mundus).
Leonéia Evangelista

Últimos posts por Leonéia Evangelista (exibir todos)

Comentários

comentário(s)