Como economizar com taxas na hora de gerar boletos registrados


O dia 10 de julho marca o início de uma das maiores mudanças relacionadas a meios de pagamento: a obrigatoriedade do registro de boletos bancários. Segundo a Febraban – Federação Brasileira de Bancos, cerca de 3,6 bilhões de boletos são emitidos todos os anos no Brasil. A mudança será gradual, mas até o final de 2017 100% dos boletos deverão ser registrados, portanto, fique atento às mudanças e saiba como economizar com taxas bancárias.

A emissão de boletos vai se tornar uma operação mais segura a partir de agora. Conforme pesquisa realizada pela E-Commerce Brasil, 75% dos consumidores ainda preferem pagar através de boletos bancários. Com taxas mais atrativas, porém anteriormente mais vulnerável a fraudes, os boletos simples ainda são maioria nos meios de pagamento. Para diminuição do risco de fraudes com boletos, a Febraban vem trabalhando desde 2015 na preparação de uma nova plataforma de cobrança, para que todas as cobranças passem a ser registradas no sistema bancário brasileiro. Ao final desse post você pode ver o vídeo de apresentação da plataforma pela Febraban.

Mesmo com tanto tempo de preparação, as empresas ainda estão apreensivas com a mudança pois, ao mesmo tempo que ela pode garantir mais segurança nas operações, uma margem fica aberta para que os bancos cobrem taxas ainda maiores a partir de agora. Com os boletos sem registro, os bancos só cobravam tarifa pelos boletos pagos. Agora, com todas as cobranças registradas no sistema bancário, os bancos podem cobrar tarifas sobre a emissão, alteração de informações do boleto ou mesmo cancelamento deste.

Como gerar boletos registrados?

Se sua empresa utiliza boletos bancários para realizar cobranças de seus serviços ou produtos, você pode já ter uma carteira diretamente negociada com seu banco. Desde 2016, os bancos oferecem apenas carteiras com registro para convênio. Se sua carteira for mais antiga, seu primeiro passo será fazer uma migração para uma carteira com registro.

Mais complicado que isso, contudo, irá se tornar a sua rotina de cobranças. Para registrar cada boleto que você emite, você terá que gerar um arquivo de remessa e enviar, uma vez ao dia, para o banco. Acredite, todos os dias, sem exceção. Dessa forma, o banco terá conhecimento dos boletos emitidos.

Se você quiser alterar as informações de um boleto, ou cancelá-lo, também terá que informar o banco sobre as atualizações mediante o arquivo de remessa do dia da alteração. As taxas sobre cada operação relacionadas aos boletos registrados são acordadas na negociação do seu convênio. Conhecer todas as taxas que podem incidir nesse momento de transição sobre suas cobranças emitidas é importante para são sair no prejuízo.

Uma alternativa mais simples e barata para gerar boletos registrados: UniPago

Para quem não tem ou não quer mais ter convênios e carteiras diretamente com os bancos, e também não quer se preocupar com a geração de arquivos de remessa, o mercado oferece boas alternativas. Além de maior praticidade, ferramentas de gerenciamento de cobranças como o UniPago, por exemplo, podem acima de tudo se mostrar vantajosas em relação as taxas cobradas.

Veja um comparativo:

TAXAS: UniPago

Tarifa única de R$ 2,00 por boleto + 1% do valor da cobrança, cobrados apenas se o boleto for pago.

Não há cobranças adicionais para alteração ou liquidação de boletos.

TAXAS: Bancos

Conforme o convênio e o banco, podem cobrar:

  • até R$ 10,00 por boleto registrado emitido (mesmo que não pago)
  • até R$ 7,00 por uma alteração de informação no boleto
  • até R$ 7,00 por liquidação

Nesse modelo, único boleto pode ter custos maiores que R$ 20,00, mesmo se não for pago.

ROTINAS COM BOLETOS REGISTRADOS:

UniPago

Você cadastra seus clientes e suas cobranças recorrentes (valores e prazos de vencimentos). Você também pode gerar cobranças individuais.
Todo o restante do processo é realizado pela ferramenta de forma simples e inteligente:

  • Geração dos boletos de cobrança sempre que houver vencimentos
  • Envio das cobranças aos seus clientes
  • Envio dos arquivos de remessas ao banco
  • Gerência de alterações e liquidações
  • Conferência dos pagamentos realizados
  • Geração de relatórios de acompanhamento dos pagamentos.

Bancos

Todo o processo precisa ser realizado por você, desde a negociação da carteira de convênio junto ao banco, e também:

  • Geração dos boletos de cobrança sempre que houver vencimentos
  • Envio das cobranças aos seus clientes
  • Envio dos arquivos de remessas ao banco
  • Gerência de alterações e liquidações
  • Gerência dos pagamentos realizados

 

O UniPago já está preparado para os boletos registrados, seguindo as diretrizes da Nova Plataforma de Cobrança da Febraban, e pode ser a alternativa mais simples e barata para você se adequar as novas regras de emissão de cobranças.

Migre suas cobranças para o UniPago agora e antecipe-se aos prazos para adequação dos boletos com registro:

  • Cobranças iguais ou acima de R$ 50.000,00 devem obrigatoriamente ser registradas a partir de 10/07/2017
  • Cobranças iguais ou acima de R$ 2.000,00 devem obrigatoriamente ser registradas a partir de 11/09/2017
  • Cobranças iguais ou acima de R$ 500,00 devem obrigatoriamente ser registradas a partir de 09/10/2017
  • Cobranças iguais ou acima de R$ 200,00 devem obrigatoriamente ser registradas a partir de 13/11/2017
  • E boletos de todos os valores devem obrigatoriamente ser registrados a partir de 11/12/2017

 

Conheça tudo sobre a Nova Plataforma de Cobrança, apresentada pela própria Febraban:

Lívia Lampert

Lívia Lampert

Gerente de Marketing & Produtos em KingHost Hospedagem de Sites
Focada em ampliar e melhorar continuamente a experiência dos clientes da KingHost. Formada em Publicidade e Propaganda pela UFRGS e em Design pela UniRitter, com mais de 12 anos de experiência em marketing digital, empreendedorismo e desenvolvimento.
Lívia Lampert

Comentários

comentário(s)